Portuguesa faz acordo trabalhista que abre caminho para salvar o Canindé

Fonte: Globo Esporte

Clube se acerta com ex-atletas que haviam conseguido a penhora do estádio e, assim, se aproxima de projeto de R$ 2,5 bi para a sede rubro-verde.

A Portuguesa chegou a um acordo com a advogada Gislaine Nunes, representante de cinco ex-atletas do clube em ações trabalhistas, os maiores credores individuais da Lusa – um total de cerca de R$ 48 milhões. A solução torna mais próxima a cessão da área do Canindé a duas empresas que construirão empreendimentos comerciais no local, além de um novo estádio para utilização do time.

O acerto foi feito em audiência de mais de três horas realizada nesta quarta-feira, na 59ª Vara do Trabalho de São Paulo. O clube se comprometeu a pagar R$ 500 mil até o dia 25 de julho e outros R$ 250 mil mensais que serão divididos para os jogadores, entre eles o ex-zagueiro Rogério Pinheiro

– Pra salvar a Portuguesa, tem de subir degrau a degrau. O acordo é uma primeira etapa. Não haverá a venda da Portuguesa. O acordo abre caminho para que o projeto se torne viável. A Portuguesa estava asfixiada, hoje ela respira – disse o presidente da Portuguesa, Alexandre de Barros.

Audiência entre a Portuguesa e representante de ex-jogadores do clube (Foto: Leonardo Lourenço)
Audiência entre a Portuguesa e representante de ex-jogadores do clube (Foto: Leonardo Lourenço)

O acordo suspende a execução das dívidas que levaram à penhora do estádio do Canindé por seis meses e abre caminho para tirar do papel um projeto estimado em R$ 2,5 bilhões para a área.

Duas estruturadoras, a Conexão 3 e a Planova, encabeçam o projeto – os executivos da empresa foram ao Fórum Trabalhista e participaram da audiência.

A intenção é construir um estádio para 20 mil pessoas, além de um shopping center, centro de convenções, hotel e torres comerciais na área, valorizada por sua localização na Marginal Tietê.

A Portuguesa usará a renda de aluguéis de uma churrascaria e de uma igreja, que utilizam a estrutura do clube. Esses valores, que estão bloqueados e serão liberados, somam cerca de R$ 110 mil mensais, e o restante será completado pelo clube.

Comentários

Fonte: Globo Esporte